Dom Getúlio passou a vida evangelizando com elegância.

Dom Getúlio passou a vida evangelizando com elegância.

Todas as pessoas têm uma missão neste plano físico. A de Getúlio Teixeira Guimarães foi o sacerdócio. Chamado a ser bispo aceitou prontamente o convite e iniciou uma nova trajetória na sua vida. Comandou a Diocese de Cornélio Procópio por 30 anos. Como foi o trabalho dele?

Conheci dom Getúlio na década de 1990. No início de 2004 ele me chamou para conversarmos sobre a possibilidade de eu escrever artigos para o Informativo da Diocese intitulado O Compromisso. Eu aceitei mas perguntei se ele queria fazer alguma inovação na publicação e me confidenciou o sonho dele de criar um jornal para a Diocese (informativo é uma publicação menor). Com o apoio de dois amigos, um atuando no controle financeiro e a outra atuando no departamento comercial para a captação de anúncios, em abril de 2004 nasceu o jornal diocesano Páginas Católicas com 8 páginas e 5 mil exemplares. Dirigi o jornal durante dez anos e transferi a responsabilidade por ele à Pastoral da Comunicação (Pascom) em maio de 2014.

Por que dom Getúlio queria um jornal? Ele me contou algo interessante da sua juventude. Quando estava no início dos seus estudos para ser padre, ele era um dos responsáveis pela venda do jornal editado pelos padres. Juntava um punhado de exemplares e ficava nas entradas da paróquia oferecendo aos fiéis, e vendia tudo. Ele via no jornal um meio excelente para propagar o Evangelho. Aquela imagem da mocidade o acompanhou a vida toda e, através do Páginas Católicas, sua Diocese seguiu o exemplo dos padres responsáveis pela formação dele.

Uma das recordações mais interessantes nos dez anos de convivência com ele foi justamente o hábito de dom Getúlio ir até a minha sala de trabalho, no Centro Diocesano de Pastoral, para me ajudar a contar os jornais. Separávamos pacotes para serem distribuídos às paróquias e algumas capelas. Ele participou várias vezes desse trabalho e eu achava graça naquilo – como pode um homem tão importante aqui, me ajudando a separar exemplares de jornal? Ele bispo e eu uma fazedora de jornal…

Dom Getúlio era assim mesmo, humilde. Às vezes tinha uma expressão de homem muito sério, mas ficava assim porque conduzir a Diocese dava muito trabalho. Dele fica a recordação de muitos momentos de paz, de alegria, de brincadeiras (ele se divertia muito com o pessoal do Centro Diocesano), mas principalmente do exemplo de homem de fé. Dom Getúlio levou a sério a vocação sacerdotal. O lema de ordenação dele “Qui Pertransiit Benefaciendo” (Que passou fazendo o bem) foi vivido na sua totalidade porque, de fato, dom Getúlio procurou fazer o bem em tudo, foi um evangelizador elegante na forma de pensar, de falar e agir, sempre calmo, diplomático, sabia chamar a atenção sem desagradar, mostrava o caminho do bem e quando a gente se enveredava por outros caminhos ele pedia calma e pedia um retorno a Deus. Impossível não atender ao apelo dele para a conversão.

Décadas atrás ele disse o seu SIM a Deus. No primeiro dia de agosto, Mês das Vocações, Deus o visitou e o chamou. Agora o nosso querido bispo emérito dom Getúlio Teixeira Guimarães, SVD está junto a Deus. Missão cumprida com total competência e elegância. Sou grata a ele por ter me dado a oportunidade de desfrutar da sua amizade e companhia.

(Helena Santos – Editora do Jornal Páginas Católicas no período de 2004 a 2014

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *