Com cerveja, se discute!

“É, portanto, evidente que toda Cidade está na natureza e que o homem é naturalmente feito para a sociedade política” (Aristóteles)

Você já deve ter ouvido a máxima de que “política, futebol e religião” não se discutem. Repetida interminavelmente pelos rincões desse Brasil, no fundo a afirmação só revela o que cada vez mais demonstramos, como sociedade: somos intolerantes. E isso significa que não temos – ou não queremos desenvolver – a capacidade de respeitar e discutir a diferença, aprendendo a conviver com opiniões diversas e divergentes.

Entretanto, ao menos no que se refere à política, é impossível ser indiferente. Isso porque, segundo o grego Aristóteles (384 a.C. – 322 a.C.), um dos mais importantes filósofos da Antiguidade, o ser humano é um animal naturalmente político. Aliás, o único que, por natureza, é capaz de conviver em sociedade. Vamos entender a raiz da palavra: política vem de polis, que significa cidade-estado. Na Grécia Antiga, a cidade-estado é a representação da própria sociedade, na época cada qual independente uma da outra.

Nada como uma boa cerveja para uma boa discussão (Foto: Divulgação)

Portanto, dizer que o homem é um animal político significa atribuir ao ser humano a capacidade natural de viver em sociedade. Nenhum outro animal faz isso. Leões, elefantes, cobras, girafas e macacos vivem em comunidades, mas não têm a racionalidade (aí está outra característica da natureza humana, a razão) para estabelecer regras e leis de convivência. Acontece que em épocas como as que estamos vivendo no Brasil, de extremismo político – potencializado pelas eleições majoritárias para a escolha de quem vai chefiar o Executivo –, parece que o assunto vira motivo de brigas.

A solução é muito simples: o equilíbrio. Se na Grécia antiga os filósofos, intelectuais e os próprios políticos regavam suas discussões principalmente com o vinho, por que não podemos hoje escolher uma boa cerveja para apreciar enquanto argumentamos situações políticas, de futebol e de religião? É claro que certamente os ânimos se exaltam e as discussões ficam apimentadas. Mas, nada melhor que, entre um argumento e outro, tomar um gole de boa cerveja, apreciá-la e repetir a dose.

Afinal, se é impossível determinar o momento em que o ser humano passou a viver em sociedade, é certo dizer que desde muito tempo, talvez a partir dos primórdios da humanidade, a cerveja é cultivada nas sociedades. Ou seja, é uma bebida que certamente acompanhou as grandes discussões políticas, de religião e, milênios adiante, de futebol. E que pode acompanhar, em pleno século XXI, quaisquer debates sobre quaisquer assuntos. Aliás, é uma maneira bastante agradável de debater com os amigos.

Texto originalmente publicado na revista Cerveja de todos os jeitos, do Clube do Malte, marca curitibana especializada no comércio de cervejas especiais e que vende mais de 1 mil rótulos para todo o Brasil.

Fonte: Portal Duo

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *