50 novos casos de sarampo foram confirmados na última semana

50 novos casos de sarampo foram confirmados na última semana

 

 

 

Número de pessoas que tiveram ou estão com sarampo subiu para 479, dados são do boletim epidemiológico desta quinta-feira (28).

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) emitiu um novo boletim epidemiológico com dados do sarampo no Paraná. Até o dia 27 de novembro a secretaria estadual tem registro de 479 de pessoas que tiveram sarampo ou estão com a doença atualmente. A maior concentração de pessoas infectadas é em Curitiba, com 306 casos e na região metropolitana soma-se mais 129.

MUNICÍPIOS – Curitiba está com 306 registros de sarampo. Nos demais municípios da região metropolitana há ocorrências em: 10 em Almirante Tamandaré; 3 em Araucária; 2 em Balsa Nova; 2 em Campina Grande do Sul; 3 em Campo do Tenente; 12 em Campo Largo; 1 em Campo Magro; 32 em Colombo; 3 em Fazenda Rio Grande; 1 em Itaperuçu, 1 na Lapa; 1 em Mandirituba; 21 em Pinhais; 13 em Piraquara; 1 em Quatro Barras; 6 em Rio Branco do Sul; 17 em São José dos Pinhais. No interior do estado as confirmações foram: 2 em Castro; 1 em Ponta Grossa; 3 em Irati; 1 em Cruz Machado; 1 em General Carneiro; 3 Paulo Freitas; 8 em União da Vitória; 3 em Maringá; 8 em Londrina; 1 em Rolândia; 6 em Carlópolis; 5 em Jacarezinho; 1 em Toledo; e no litoral paranaense a cidade de Matinhos confirmou 1 caso esta semana.
Os municípios que confirmaram casos de sarampo na última semana são: Matinhos, Campo Magro e Cruz Machado.

VACINAÇÃO – No sábado (30) será realizado o Dia D de vacinação contra o sarampo. Neste dia as unidades de saúde estarão abertas para que mais pessoas possam receber as doses. O público alvo da etapa é de jovens entre 20 e 29 anos, que são a maioria das pessoas que estiveram ou estão com a doença. “O sarampo é bastante perigoso e potencialmente evitável. A vacina é a forma de prevenir e é gratuita. Vá no sábado até a unidade de saúde e se vacine, isso beneficia toda a população”, frisou o secretário estadual, Beto Preto.fonte: SESA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *